500 drones iluminam o céu noturno para estabelecer um recorde

Menos de um ano depois de entrarem para o Livro Guinness dos Recordes por fazerem 100 drones voar simultaneamente, os engenheiros da Intel estabeleceram um novo recorde mundial com uma frota de 500 drones projetados especificamente para espetáculos de luzes.

O pôr do sol de outono caía sobre Kralling, Alemanha, quando milhares de hélices minúsculas começaram a girar em uníssono em um descampado. O zumbido contínuo de 500 drones, cada um deles tendo acoplada uma lâmpada de LED, atingiu seu ponto máximo quando eles levantaram voo simultaneamente e dançaram juntos no céu como vaga-lumes sincronizados. A frota desenhou figuras em 3D, escreveu palavras conhecidas e formou o número 500 no ar.

Possibilitado por 500 drones Intel Shooting Star (estrelas cadentes) controlados por um piloto usando um notebook, o espetáculo de luzes coreografado entrou para o Livro Guinness dos Recordes no dia 7 de outubro de 2016 pelo Maior Número de Veículos Aéreos não Tripulados (UAVs) no ar ao mesmo tempo.

"O espetáculo demonstra como uma grande frota de drones é capaz de comunicar-se e executar tarefas complexas", disse Natalie Cheung, diretora da divisão de espetáculos de luz com drones do Grupo UAV da Intel.

Cheung disse que o espetáculo de luz acionado por tecnologia demonstra como a arte e a inovação dos drones podem associar-se para criar experiências novas. Ela considera que o espetáculo de luzes com drones dará um toque de tecnologia às tradicionais queimas de fogos sem os riscos inerentes aos espetáculos pirotécnicos tradicionais.

"Esta tecnologia pode ser utilizada para entretenimento ou para colocar anúncios no céu", acrescentou Cheung.

Uma frota de drones pode ser usada para atender a necessidades comerciais e em operações de busca e salvamento.

De 100 para 500 drones

O sistema do show de luzes de UAVs foi projetado pela Intel e tem permissão da Administração Federal de Aviação (FAA) para voar nos Estados Unidos.

Cheung fazia parte da primeira equipe da Intel que estabeleceu o Recorde Mundial do Guinness no final de 2015 com um espetáculo de luzes que utilizou 100 drones próximo a Hamburgo, Alemanha. Alguns meses mais tarde, a Intel apresentou o sistema de drones em Palm Springs, Califórnia, demonstrando que os entraves regulamentares dos EUA não impediriam esses voos.

A primeira apresentação pública – e a primeira vez sobre o mar – do Drone 100 ocorreu durante o evento de verão Vivid Sydney 2016 na Austrália e foi acompanhada ao vivo pela Orquestra Jovem de Sydney.

"A Drone 100 foi incrível, mas colocar 500 drones na mesma extensão de espaço aéreo voando muito mais próximos uns dos outros é de tirar o fôlego", disse Cheung.

Drone Intel 500-4

Daniel Gurdan, o chefe da engenharia dos drones Intel Shooting Star disse que 500 dá a impressão de uma ordem de magnitude maior do que 100 UAVs.

"Você perde totalmente a noção de quantos deles estão realmente no ar", explicou.

Gurdan teve a ideia de elevar o espetáculo Drone 100 a um novo patamar melhorando e simplificando o sistema. Isso levou a equipe a construir o drone Intel Shooting Star, um drone leve, seguro e durável projetado específicamente para espetáculos de luzes.

iq-email-cta-in-article-drones

"Otimizados é a melhor palavra para descrever os drones Intel Shooting Star", disse Cheung. "Ao projetá-los, nossa equipe pensou em tudo, desde o processo de fabricação, eficiência dos aspectos operacional e de segurança, até as perspectivas do operador e do público."

Hardware e software otimizados

Os drones anteriores, utilizados no Drone 100, pesavam em torno de um quilo. Os novos drones Shooting Star, por sua vez, pesam apenas 280 gramas. Eles possuem uma carga útil de LED firmemente integrada inserida em uma estrutura macia feita de materiais frágeis, como plásticos flexíveis e espuma. As hélices são protegidas por armações fechadas. Não há parafusos.

Drone Intel 500

A altura do voo é limitada por restrições legais, o que nos EUA geralmente significa no máximo 122 metros acima do solo.  Gurdan explicou que os drones Shooting Star voam automaticamente e podem manter a estabilidade com ventos de até 36 quilômetros por hora. Eles são até a prova de respingos e portanto podem voar sob chuva leve.

"O controlador de voo tem alta precisão, é muito robusto em rajadas de vento e sua confiabilidade, comprovada", disse Gurdan. Um software de controle semelhante a este comanda o drone comercial Intel Falcon 8+ e o Volocopter, o primeiro multicóptero certificado a voar levando uma pessoa a bordo.

As primeiras apresentações do espetáculo de luzes Drone 100 levaram cinco meses para ser montadas e foram necessárias mais de 15 pessoas para gerenciar o evento. Foi preciso criar um campo de aviação e reiniciar, atualizar e carregar os drones manualmente antes de cada voo. Com o Intel Shooting Star, o mais novo sistema otimizado de espetáculo de luzes pode ficar pronto em poucos dias e pode ser administrado por poucas pessoas ou apenas um operador, caso não haja necessidade de suporte.

Intel_Shooting_Star_dones_light_show_500_Intel_3D

O sistema automatizado torna a frota de Shooting Stars fácil de atualizar e operar. Segundo Gurdan, o sistema verifica cada drone antes dos voos e depois seleciona os mais bem preparados tomando por base a bateria mais completa, boa recepção do GPS e outros fatores.

"Algoritmos sofisticados otimizam as distâncias durante a decolagem e a aterrissagem para evitar colisões", acrescentou. "E os veículos mantêm-se protegidos graças às armações em torno das hélices."

Chueng os descreve como máquinas programadas com exatidão, extremamente ágeis, que fazem algo impossível de ser reproduzido por centenas de pilotos humanos comandando centenas de drones.

Animação otimizada

Para criar as primeiras animações do Drone 100, os programadores tiveram que mapear o trajeto de cada drone. Agora, o sistema pode pegar quase qualquer imagem – como o logotipo da Intel, por exemplo – e o software determina automaticamente a rota de voo mais rápida para um determinado número de drones.

Imagem de 500 drones em notebook

"Fazemos uma simulação no notebook, vemos como funciona e depois a carregamos nos drones com o clique de um botão", disse Chueng.

O novo hardware e software permitem que mais drones voem e mais próximos uns dos outros.

"Em vez de ter uma distância de 6 metros entre os drones no ar, podemos realmente diminuir essa distância para 1,5 metro", disse Cheung. "Quando os drones podem estar mais próximos uns dos outros, forma-se uma imagem mais brilhante e mais bonita."

Intel_Shooting_Star_dones_Light_Show_Intel_3D

"A Administração Federal de Aviação aprovou os drones Intel Shooting Star após avaliar os protocolos dos sistemas e as diretrizes de implementação de segurança", acrescentou Cheung.

O Drone 500 possui Concessão da Parte 107 para voar nos EUA.  no espaço aéreo classe G, o que pode ajudar a obter a aprovação para voar em outros países.

"Estamos mostrando às agências reguladoras de todo o mundo que as tecnologias de UAV utilizadas da forma correta, podem ajudar a formular novas normas para veículos aéreos tripulados e não tripulados", explicou Cheung.

Drone Intel

 

Nota do Editor: O espetáculo de luzes utiliza os UAVs Intel Shooting Stars, mas também é mencionado neste artigo o Intel Falcon 8. Conheça melhor o Falcon de próxima geração, o Intel Falcon 8+, sistema aéreo não tripulado com total redundância do sistema eletrônico. Ele foi projetado com segurança, facilidade, desempenho e precisão para os mercados norte-americanos. Os dispositivos Falcon 8 e Falcon 8+ não foram autorizados conforme exigência das normas da Comissão Federal de Comunicações. Estes dispositivos não são nem podem ser disponibilizados para venda ou aluguel nem vendidos ou alugados sem a devida autorização. Certificação de Segurança, avaliação CE e aprovações de outros países ainda não concluídas.

Share This Article

Related Topics

Read This Next

Read Full Story